Confira o Entrevistando Quem Produz com Fraterni Beats

BeatMaker

Canal no Youtube de RaoEntrevistando Quem Produz com Fraterni Beats

O beatmaker local de Brasília, mais conhecido como Fraterni, vem produzindo seus beats a mais ou menos 2 anos e se encontra na cena do Rap por volta de 1 ano, sua vontade de se tornar um produtor veio através da paixão pela música e hoje ele é nosso convidado para bater um papo sobre o cenário do Rap Nacional. Entrevistando Quem Produz com Fraterni Beats.

ENTREVISTA

Revista Rap: De onde surgiu a ideia/vontade de ser um BeatMaker?

Fraterni: Desde a ideia da formação de um grupo de Rap na escola.

Revista Rap: Quanto tempo está na cena do Rap?

Fraterni: A mais ou menos 1 ano.

Revista Rap: Qual tipo de som mais curte fazer? (Rap, Trap, R&B, outros)

Fraterni: Trap e R&B são os gêneros que mais eu curto fazer.

Revista Rap: Algum artista/BeatMaker te inspira? Qual?

Fraterni: LR Beats é o que eu mais me inspiro, acompanho seus materiais desde a minha introdução no ramo, e é um exemplo tanto como pessoa quanto beatmaker.

Revista Rap: Pra qual Rapper gostaria de Trampar, fazer um beat?

Fraterni: Com o trapper de Brasília Matoco, ele é um cara que ta aparecendo agr na cena, tem um estilo mais autêntico e curto seus sons.

Revista Rap: Qual sua visão desse tão falado “Hype”?

Fraterni: Hype meio que ta ligado com a ostentação de condição, roupa, grana e meio que virou um estilo de vida, tbm tem haver mais cm o trap do q com o rap underground.



Revista Rap: Um dia ele (Hype) vai deixar de existir e ficar na cena quem realmente faz porquê gosta?

Fraterni: A maioria dos artistas novos que estão na cena mais pelo ostentação e dinheiro vai acabar caindo c o hyper para de existir, tipo pra eles nao vai ter mais graça fazer algo que nao gera tanta visibilidade, diferente de quem faz por amor e sem fins tão estéticos.

Revista Rap: Sua visão sobre o Rap Underground e o Rap atual, o que você acha que mais mudou?

Fraterni: O foco nas questões sociais e algo que diferencia muito o Underground de outras vertentes do rap, o Trap por exemplo fala totalmente ao contrário e não passa visão da realidade vivida pelas pessoas. A ideologia e algo que ainda falta mesmo que em pequena dose no geral do rap atual.

Revista Rap: Um rapper ou grupo da nova geração que você acha que ta chegando pra estourar ou fazer nome no rap?

Fraterni: A Banca Records e Ucla são os grupos que começaram a pouco tempo mas ja vem estourando, mais pelo fato deles misturarem características do rap atual com ideologia.

Revista Rap: Vem novos projetos pela frente?

Fraterni: Estou planejando uma nova mixtapes de beats com uma pegada mais do trap brasileiro.

Revista Rap: Atualmente você vive da música? Se sim, a partir de quando?

Fraterni: Já estou começando vender alguns beats, mas nada ainda concreto ou com renda fixa, portanto vivendo mesmo da música ainda não.

Revista Rap: Se você tivesse que fazer o último beat da sua vida hoje, como seria e para quem seria?

Fraterni: Uns dos meus estilos de beats preferidos vem da gringa cm Travis Scoot, sao várias camadas q faz o som ficar mais vivo e diferenciado, certamente seria o meu último grande beat.

Deixaremos abaixo as redes sociais do Fraterni para vocês seguirem e verem o que vem por ai e alguns trampos de Remake que ele fez.



 



 

 

Redes Sociais

Instagram: @fraternibeats

Instagram Revista Rap