Entrevistando Quem Produz com: Mortão VMG

Entrevistando Quem Produz com: Mortão VMG

BeatMaker, Cultura Hip Hop, Rap Nacional



Veja a entrevista com o produtor Mortão VMG

Fellipe Pereira Amorim, mais conhecido como Mortão VMG, beatmaker de 29 anos, nascido em Goiânia (GO), vem de uma caminhada no Rap, um dos produtores do Casa1, além de já ter feito trampos com grandes nomes da cena. Hoje ele é nosso convidado para o Entrevistando Quem Produz.

ENTREVISTA

Revista Rap: De onde surgiu a ideia/vontade de ser um BeatMaker? 

Mortão: Eu ficava tentando esticar os beats que sobravam nos finais das músicas gravando nas fitas, pra depois poder cantar por cima, quando tive acesso ao computador isso só foi evoluindo, porém só me aprofundei em produção há uns 4 anos.

Revista Rap: Quanto tempo está na cena do Rap?Mortão Beatmaker Teclados

Mortão: A primeira música que gravei eu tinha 13 anos, não sei se conta, mas desde então nunca mais parei de fazer música.

Revista Rap: Qual tipo de som mais curte fazer? (Rap, Trap, R&B, outros)

Mortão: Rap e Funk

Revista Rap: Algum artista/BeatMaker te inspira? Qual?

Mortão: Laudz, Mano Brown, Duck Jay

Revista Rap: Pra qual Rapper gostaria de Trampar, fazer um beat?

Mortão: Mano Brown

Revista Rap: Qual sua visão desse tão falado “Hype”?

Mortão: Hoje em dia tento não ter tantas visões radicais sobre as novidades que surgem, não pretendo ficar preso a tudo que é tradicional, nem tentar ser o mais moderno, entre erros e acertos vou descartando e absorvendo o que convém.

Revista Rap: Um dia ele (Hype) vai deixar de existir e ficar na cena quem realmente faz porquê gosta?

Mortão: Acredito que sempre vai existir os que gostam de se aprofundar mais na cultura, e outros que contribuem apenas com rimas, moda, etc. E isso não necessariamente quer dizer que deixam a desejar.

Revista Rap: Sua visão sobre o Rap Underground e o Rap atual, o que você acha que mais mudou?

Mortão: A produção melhorou e aumentou muito, e a nossa exigência também, mas se pesquisar bem, dá pra encontrar pérolas em todas as épocas.

Revista Rap: Um rapper ou grupo da nova geração que você acha que ta chegando pra estourar ou fazer nome no rap?

Mortão: Não sei, só acho que vai sair das batalhas.



JA SE INSCREVEU NO CANAL DA REVISTA RAP?

Revista Rap: Vem novos projetos pela frente?

Mortão BeatMaker RapMortão: Acabei de produzir o Favela Vive 3 juntamente com o ADL, o que pra mim foi uma honra sem igual, também sou um dos beatmakers Fixos do Casa1, então sempre vão ter novidades saindo no Rapbox. Além dos trabalhos com meu parceiro Nocivo Shomon que nunca param, também to tentando gerar conteúdo pro meu canal do Youtube, mostrando como faço os beats, lançando músicas, remixes, etc.

Revista Rap: Atualmente você vive da música? Se sim, a partir de quando?

Mortão: Como eu comecei a aprender com 13 anos, com 16 eu já vendia uns beats (bem barato), gravava e produzia alguns grupos de Goiânia, mas de 2014 pra cá que consegui comprar equipamentos melhores, sair do quarto e montar meu estúdio.

Revista Rap: Se você tivesse que fazer o ultimo beat da sua vida hoje, como seria e para quem seria?

Mortão: Pergunta difícil, mas o último beat da vida, teria que ser pra mim né? Depois de pensar tanto nos outros kkkk. Só não sei como seria, talvez uma mistura de Tim Maia com Charlie Brown Jr.

Essa foi a entrevista com Mortão VMG, deixaremos abaixo 3 sons produzidos por ele e suas redes sociais para vocês acompanharem tudo que está por vir.



 

 

Email Para Orçamento de beats: MORTAOGO@GMAIL.COM

Facebook: Mortao VMG

Instagram: @mortaovmg

Youtube: /SiglaVMG

SIGA A REVISTA RAP NO INSTAGRAM

SE INSCREVA NO CANAL REVISTA RAP