Pronunciamento sobre João pedro

Cultura Hip Hop, Destaque

Veja como Djonga, Drika Barbosa, Bia Ferreira e outros artistas se manifestaram em face do assassinato do menino de 14 anos, pela PM no Rio de Janeiro.

Depois do ocorrido com João Pedro (entenda o caso aqui), muitos artistas se manifestaram nas redes sociais contra a política genocida do Governo do Rio de Janeiro, que vem tirando a vida de tantas de nossas crianças.

Djonga se pronunciou no Instagram, publicando uma representativa filmagem de sua neném e do céu, com a música “Hoje Não”, num trecho que faz referência a outros jovens inocentes assassinados em 2019, também vítimas da PM, no Rio de Janeiro.

Nessa estrofe, citada pelo rapper na postagem, ilustra-se a vida de todas as pessoas pretas e pobres que são vítimas constantes das ações da Polícia Militar do estado na periferia. Djonga canta:

“Perguntam se eu não me arrependo do que tenho dito
Mas não se arrependem de Jenifers, Kauãs e Ágathas
Nós aqui carregando o peso do mundo nas costas
Por coisa que nem o peso na sua consciência paga
Eu tô puxando a boia pra ver se os otário afunda”

Djonga

No story seguinte, o artista escreveu: “Hoje não é uma das músicas que tenho mais carinho do trabalho novo, só que as coisas que trago nela eu não queria ter tido que trazer nunca!”. Ao fundo, mais uma imagem do céu azul e limpo:

Ele ainda completou: “Vc acha que os Racionais, Negra Li, Emicida, Luedji Luna e vários de nós queria ter que falar o que fala?” (sic).

Neste sentido, Karol Conka também se posicionou, pedindo: “Que o absurdo que nos assombra possa se dissolver com a união da nossa voz”. Aproveitou para desejar que Deus conforte o coração das famílias que tem de passar pelo que a de João Pedro está passando, ao perderem suas crianças de forma brutal.

Rael publicou no Instagram uma foto do inocente João, fazendo o sinal da paz, dizendo que acordou com a notícia triste e não deseja nem transcrever o ocorrido, apenas dando seus sentimentos à família e sua inquietação frente ao que chamou de “sistema falido” o qual é, segundo ele, uma “máquina empoeirada de matar preto e pobre”.

Além disso, a manifestação verbal feita por Bia Ferreira foi publicada no seu Instagram @IgrejaLesbiteriana, dedicando alguns versos a João Pedro. A forte mensagem, intitulada “Necropolítica”, que significa política da morte, segue abaixo:

Ver essa foto no Instagram

Correria tu se vira Bobeou eles atira Eles nem são bons de mira Mas a ordem é matar "Se não é alvo, aniquila Porque o alvo é a melanina Pode estar com a família, Menino ou menina" E na favela é mais uma chacina Necropolitica No hospital Não tem respirador e maca Tá faltando luva e máscara Quando que isso vai melhorar? Indígenas exterminados O garimpo liberado Na terra que seus antepassados começaram a plantar. Lamas varrendo cidades Aviso prévio da morte Agora pensa se VALE Calcular e deixar a sorte Decidir quando estoura Toda essa bomba relógio Isso é Necropolitica Pro estado, um negócio Democracia hipócrita Ideias tão inóspitas água e comidas tóxicas Querem te intoxicar Tem mais manada que gente. E o governo defende: “Pode tacar fogo em tudo Porque o boi tem que pastar” E muita gente doente Sem médico pra cuidar E nenhum centímetro a mais pra terra indigena A cada 23 minutos, mais uma mãe preta chora Coração apertado e ele só foi jogar bola Se tiver atrasado, devagar, não corre agora. A polícia não viu que era roupa da escola? Necropolitica é isso, Te incomoda?! Mbembe me ensinou E eu to repassando agora! Cheguei falando alto, agora tô fazendo alarde Espero que entenda e comece a sua parte! Porque Não vai chorar sua mãe Nem vai chorar a minha Povo preto se armando Com a palavra e a escrita Não vai chorar sua mãe Nem vai chorar a minha Povo preto se armando Conhecimento é a saída. #JoaoPedroMattosPresente #necropolitica #estadogenocida #contraogenocidiodopovopreto #covid19 #adiaenem

Uma publicação compartilhada por BIA FERREIRA (@igrejalesbiteriana) em

O vídeo da rapper foi compartilhado por várias figuras da cena hip-hop, como Emicida, quem fez o compartilhamento duas horas depois da postagem original, nos stories do Instagram, com a citação destacada pelo produtor Julio Benedito: “existe pele alva e pele alvo.”.

Drik Barbosa escreveu um texto sobre o caso nas suas redes sociais, utilizando a relevante hashtag #vidasnegrasimportam, confessando estar revoltada.